Base Ideológica

/Base Ideológica

O projeto Falando Direito e a Justiça Brasileira

  O que nos diz a Justiça brasileira da atual litigiosidade? A sociedade brasileira tem implantada sobre si a cultura do litígio, em que a extrema judicialização é a marca de um sistema de Justiça incapaz de resolver as demandas sociais. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em sua décima edição do Relatório Justiça em Números, apresenta o grau de litigiosidade no Brasil representado por cerca de 95 milhões de processos em tramitação, o que significa uma demanda judicial para cada dois brasileiros. Sobre

Extrapola os limites da educação tradicional e utiliza-se dos métodos mais modernos e eficazes de universalização do conhecimento

Desmistificar o Direito e fazer chegar ao seio da família, da escola, do bairro, enfim, da população carente de todos os estados brasileiros, a compreensão sobre o que significa ser cidadão num Estado Democrático de Direito, cuja Fraternidade deve ser um dos pilares. Desmistificar a Defensoria Pública e fazer chegar aos lares brasileiros o que a instituição realmente faz e o seu complexo rol de atribuições jurídicas, políticas e sociais, estabelecendo um elo saudável e fraterno entre a sociedade e a

Uma esperança de potencialização gigantesca de efetivação dessa nossa missão

A missão institucional da Defensoria Pública, de levar educação em direitos especialmente às regiões e espaços de maior vulnerabilidade social, é um diferencial que nos permite levar conhecimento, contribuindo na formação de cidadãos críticos, conscientes de seus direitos, de instrumentos para sua garantia, de modelos de articulação e participação na construção de políticas públicas. Ao mesmo tempo, tal ação nos engrandece como Defensores Públicos e como cidadãos, por ter a alegria e a oportunidade de trocar experiências, reformulando constantemente nossa

Um investimento nos verdadeiros pilares da nossa sociedade

A identificação dos problemas sociais e os meios selecionados para o seu enfrentamento demandam uma ação de ruptura, que se afaste do senso comum e busque a efetivação dos direitos humanos. O projeto “Falando Direito” vem justamente para quebrar paradigmas, transformando adolescentes em protagonistas sociais, por meio da capacitação para o exercício da cidadania. A educação de jovens em direitos, aliada à promoção de seu desenvolvimento pessoal e profissional, é um investimento nos verdadeiros pilares da nossa sociedade, trazendo concretude ao

Tarefa Desafiadora

O nosso tempo insiste em dar sinais do esgotamento das instituições burocráticas tradicionais. As escolas e metodologias convencionais, nesse quadro, estão a merecer uma nova formatação integrativa entre todas as fontes do saber. O futuro das novas gerações depende desse esforço aberto e sinergético de todos. O projeto ‘Falando Direito’, nessa desafiadora tarefa de educar pra ser, através da comunhão voluntária de diversos segmentos do saber humano, representará um ponto de luz no desenvolvimento dos talentos dos aprendizes. E os

A importância do projeto Falando Direito

A importância do projeto “Falando Direito” está na sua proposta de transformação não apenas em matéria de educação, é também uma transformação cultural que envolve a verdadeira conquista da cidadania por aqueles que ainda não a exerce por completo, por uma razão que é simples e ao mesmo tempo fundamental, o desconhecimento dos básicos direitos que temos como participantes de uma sociedade que se pretende ser igual, livre e justa. A emancipação que a educação sobre os nossos direitos promove é

A Contribuição segundo seu Idealizador

O “Falando Direito” vem para contribuir com uma sociedade protagonista da efetivação do direito a ter direitos. Essa ideia passa a ser sedimentada quando ponderamos sobre a importância do cidadão que, a partir dos 16 anos, tendo em mãos o seu título de eleitor, fiscaliza os atos da gestão pública, podendo atuar de modo diligente e mudar o rumo de atuação da Administração Pública na sua comunidade. Existe um complexo de situações que qualquer pessoa está submetida, mas que a maioria não

Vim, Vi e Venci!

Por que motivo educar em direitos e deveres jovens estudantes carentes? Por qual razão oferecer conhecimento jurídico aos professores da rede pública? O que justifica inserir informação inédita e diferenciada no âmbito familiar? O educador diz: “Veja!” e, ao falar, aponta. O sujeito olha na direção apontada e vê o que nunca viu. Seu mundo se expande. Parafraseando Rubem Alves, percebo que a primeira tarefa do ‘Falando Direito’ é ensinar o jovem a ver, não apenas ler ou ouvir o que nunca

O pilar de sustentação de uma sociedade igualitária

“A educação assegura a formação e o desenvolvimento físico, intelectual e moral de um ser humano. É o pilar de sustentação de uma sociedade igualitária, justa e consciente de seus direitos e deveres. Assim, é obrigação de todos e, principalmente, das instituições públicas contribuir para que seja vivida por todos os cidadãos brasileiros de modo a lhes conferir a efetiva dignidade. E esse é o intuito do “Falando Direito”. Por meio de seus idealizadores e cooperadores, o projeto quebrará barreiras, ao